quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009 | Autor:

Eu queria poder responder a cada um, pessoalmente. Não sendo possível, quero que você saiba que eu li o seu comentário e que fiquei emocionadíssimo. Não sabia que tanta gente iria se comunicar comigo pelo meu aniversário. Independentemente das outras atividades e compromissos, fiz questão de ler e curtir uma por uma das mensagens. Foi emocionante ver que havia 142, eu aprovava 50 e agora havia 185 de tantas outras que entravam enquanto eu estava lendo e liberando as 50. No final, 493 mensagens, todas com muito carinho. Tenho a sensação de que naquele momento minha expectativa de vida se expandiu em alguns anos. Tive ímpetos de sair abraçando todos os instrutores e alunos que eu encontrasse pela frente, mas não iria resolver, já que havia tanta gente que se comunicou da Itália, Alemanha, França, Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Peru, República Dominicana, Guatemala, Estados Unidos, Austrália, Inglaterra, Escócia, Polônia e de todas as nações do subcontinente brasileiro.

Quero que você se sinta pessoalmente, individualmente, abraçado. Quero que você saiba que fez feliz uma pessoa que valoriza muito o afeto e que jamais vai se esquecer desse dia. Foi supreendentemente, alegremente inesperado.

Fernanda só me perguntava a cada cinco minutos: “Você está feliz?” E me parecia que, em sua sensibilidade, ela estava expressando não só os próprios sentimentos dela, mas também os seus e os de tantos amigos, colegas, alunos, leitores e simpatizantes que pararam tudo o que estavam fazendo para me escrever algumas palavras de amor.

Eu queria lhe dizer mais, mas estou muito emocionado neste momento. Depois eu volto. Receba um forte abraço e um beijo carinhoso deste velhote que comemorou 65 anos com satisfação adolescente.