quarta-feira, 6 de julho de 2011 | Autor:

Temos dezenas de deputados, delegados,  advogados e magistrados. Temos amigos em muitas esferas influentes da sociedade: Rotary, Maçonaria, Governo, Exército, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, médicos, psicólogos, todos pessoas do bem e que querem ajudar-nos a realizar nossos ideais edificantes de orientação para uma juventude sem drogas e para as obras sociais e filantrópicas. Todos querem nos ajudar.

Nós temos muito poder. Nós, coletivamente, temos dezenas de milhares de alunos, ex-alunos, leitores dos nossos livros (já mais de um milhão de exemplares vendidos), e alguns milhões de alunos à distância que estudam gratuitamente pela internet, pelos nossos CDs, DVDs e livros dos nossos instrutores. Contamos hoje com mais de 100 websites do Método DeRose coligados, em vários países.

Não é de se admirar que tenhamos tantos alunos à distância, já que o nosso site não vende nada e proporciona uma miríade de informações, free downloads dos nossos livros  MP3 de CDs com material didático e aulas práticas, endereços de milhares de instrutores da nossa linha e de outras correntes não ligadas a nós e muitos outros serviços de utilidade, tudo gratuito. Poderíamos estar ganhando um dinheirão, mas fazemos questão de que a nossa proposta não seja comercial.

Com uma legião tão expressiva de estudantes, colaboradores e simpatizantes, seria um pecado não mobilizar todo esse exército para ações sociais, humanitárias e ambientais, colaborando com a Defesa Civil, com o Rotary e com as demais entidades assistenciais e culturais.

Juntos, nós temos muito poder. Portanto, vamos usá-lo sempre construtivamente. Vamos usá-lo para melhor servir à Humanidade, ensinando à juventude um ideal de estilo de vida sem drogas, sem álcool e sem fumo e oferecendo-lhes uma formação profissional na nossa área. Com isso, certamente, vamos reduzir a criminalidade por causa das drogas, vamos diminuir os acidentes por causa do álcool e e vamos minimizar as enfermidades causadas pelo tabaco. Se só conseguíssemos isso com nossos alunos imediatos, já seria um belo trabalho social. Mas se os formarmos instrutores do Método, torná-los-emos replicadores da nossa filosofia de vida e poderemos multiplicar por cem ou por mil o número de pessoas que serão beneficiadas com o nosso trabalho.

Una-se a nós! Vamos trabalhar juntos pelo Bem.

domingo, 19 de junho de 2011 | Autor:

Tenho notado que aquilo que o aluno ou instrutor vê em sua unidade não somos nós. Na maior parte das escolas, o ritmo é mais lento, a quantidade de atividades culturais é bem menor, os conceitos são pouco explorados, formam-se poucos instrutores, inauguram-se parcas escolas.

Verifico, ao conversar com os instrutores e com os alunos de outras cidades, que em muitas unidades o que eles professam é uma interpretação simplificada da nossa proposta. O problema disso é que recentemente uma instrutora me confidenciou que queria sair da rede porque sentia que ela estava estagnada! Bem, essa colega certamente não recebia os informativos, não lia o blog, não participava da profusão de cursos e eventos para aprimoramento dos instrutores. Nossa velocidade é tão vertiginosa que muitos instrutores não conseguem nos acompanhar! Nos meus cursos, noto que a maioria continua utilizando recursos, ensinando princípios ou aplicando nomenclatura que nós já superamos várias vezes. E há muitos anos!

As insígnias são uma demonstração desse delay, dessa defasagem. As mais antigas são redondas. Depois dessas, adotamos as que tinham a legenda com a nossa marca embaixo. Depois dessas, adotamos as que têm a coroa de louros. Atualmente, os distintivos de cargos (de Diretor e de Presidente de Federação) possuem um majestoso resplendor por trás da insígnia. No entanto, ainda encontramos instrutores, Diretores e Presidentes de Federação com a insígnia mais antiga, redonda, que foi substituída há uns cinco anos. Isso é apenas um sinal da resistência às mudanças e da inércia (tamas) que impede várias escolas de nos acompanhar no ritmo DeRose.

Não se justifica declarar que é porque você está noutra cidade ou noutro país, já que todos os instrutores recebem os informativos, têm acesso ao blog e às webclasses em tempo real.

Durante dez anos solicitei que todas as escolas e mesmo instrutores tivessem seu site ou pelo menos uma home page.  Até hoje, por incrível que pareça, muitas escolas e federações não têm site. A maioria dos instrutores não entra no nosso blog e fica desatualizada. Imagine os alunos! Eles nem sequer assistem as nossas aulas transmitidas pela internet nas terças-feiras!

Assim…

o que você vivencia na sua unidade não somos nós.

É preciso que as unidades nos acompanhem, pois fica constrangedor tirar alguém para dançar, dar dez passos de dança, fazer um giro e notar que o parceiro não se moveu de onde estava.

___________________

Hola Maestro,
Leyendo “O que você presencia na sua unidade não somos nós” me quede feliz de saber que practico en una unidade que “sim somos nós” , la Sede Historica Copacabana, hace parte de esas unidades que seguimos tus pasitos y pasotes, el intercambio que tenemos entre las unidades aqui es “padrisimo” (mexicanismo que quiere decir buenisimo) durante la semana comentamos acerca de tus cometarios en el blog, organisamos salidas al cine, al restaurante, participamos de las fiestitas de cumpleaños de los colegas, unos a otros nos incentivamos a participar mas y mas, por ejemplo para le festival de São Paulo, etc etc.

Aunque ciertamente, siempre se puede hacer mejor, creo que nuestra unidad va por le buen camino, por lo menos asi lo siento yo, la unidad de Copacabana se volvio para mi una segunda casa en la cual me siento muy agusto. Y por cierto acabo de recibir mi nueva insignia de yogini y es de las actualizadas y estoy muy orgullosa de hacer parte de esta tu egregora, de mi instructora Melina Flores y de todo lo que vivo desde hace un año con todos ustedes.
Nos vemos al ratito, en el lanzamiento de tu libro, estoy feliz de conocer a Jaya personalmente, que pena que no haya espacio para llevar a mi Pancho, :-) te quiero Maestro un besototote.

___________________

Madrisimo, Marga! Un besototote a Pancho.

 

quarta-feira, 25 de maio de 2011 | Autor:

Querido Mestre,

O Movimento Brasil Eficiente reúne o setor produtivo nacional, federações empresariais, empresas de segmentos variados e a sociedade civil em torno de uma proposta de reformulação fiscal e tributária que garanta ao país um crescimento econômico sustentável, consistente, constante e acelerado.

O Movimento Brasil Eficiente tem por objetivo, neste momento, sensibilizar a população, a classe política e, principalmente os governantes eleitos, sobre a importância de diminuir o peso da carga tributária sobre o setor produtivo, simplificar e racionalizar a complicada estrutura tributária, melhorando a gestão dos recursos públicos.

Sem qualquer vinculação político-partidária, o movimento traça para os brasileiros um roteiro de ação capaz de conduzir o crescimento econômico e a geração de empregos à média decenal de 6% ao ano, praticamente dobrando a renda per capita da população em 2020. Isso será possível, desde que a carga tributária caia para patamares de 30% do PIB ao fim da década.

O MBE quer dar um basta na carga tributária mais onerosa do planeta, que prejudica o produto brasileiro e inviabiliza investimentos.

Exige também que cada centavo de imposto tenha uma destinação eficiente, não servindo apenas para alimentar a máquina de gastar do governo. Quer impostos bem gastos, na infraestrutura, na educaçao e na saúde. E quer esse Brasil eficiente sem mais delongas.

É possível ajudar o Movimento Brasil Eficiente a mudar essa realidade, a lutar pela redução da injusta carga tributária e por mais eficiência no uso público do nosso dinheiro.

Apóie o abaixo-assinado pela redução da carga tributária brasileira e divulgue essa iniciativa para seus amigos e parentes. Precisa-se de pelo menos um milhão de assinaturas para que o Movimento Brasil Eficiente se torne projeto de lei e possa ser votado no Congresso Nacional.

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/8425

Instr. Fábio Santana
Joinville SC

terça-feira, 3 de maio de 2011 | Autor:

Está em estudo um projeto que propõe só seja aceito um novo Credenciado se ele provier de uma Unidade Vencedora. O projeto propõe que o candidato deva ter trabalhado pelo menos quatro anos em uma Unidade Vencedora. Isso, porque já está mais do que confirmado que os Diretores oriundos de escolas que não conseguiram sucesso tendem a repetir os mesmos erros que aprenderam em sua unidade de origem.

Não adianta insisitirmos em aceitar novas escolas se for detectada a tendência a não obter sucesso.

O projeto será enviado ao Conselho e ao Colegiado para avaliação e aprimoramento. Inclusive para a definição do que podemos considerar uma Unidade Vencedora. Imagino que essa unidade deva ser certificada, deva ter um número razoável de alunos, que tenha formado uma quantidade considerável de bons instrutores e que seja alinhada com as nossas propostas.

Isso vai proporcionar mais vetores de sucesso às novas escolas que abrirem e que se filiarem à nossa família.

Boa sorte, portanto, a todos os novos e futuros Diretores. Contem sempre com a nossa orientação e aconselhamento.

sexta-feira, 15 de abril de 2011 | Autor:

Às vezes, não temos noção de como o Método vem influenciando o comportamento das pessoas de vários países ao longo das décadas. Conseguirmos influenciar o mundo a partir de propostas divulgadas em língua inglesa, é fácil. No entanto, tê-las tornado conhecidas a partir do português, isso foi realmente algo de que podemos nos orgulhar pela validade e impacto que contêm.

A partir da década de 1960, inspirados na filosofia Shakta e em esculturas hindus, começamos a propor a depilação pélvica total como sinal de civilidade, por razões estéticas e higiênicas. Como surgira no Rio de Janeiro, cidade de praia, a ideia foi muito bem aceita, pois facilitava a vida das mulheres. A partir do Rio, centro gerador de modas e tendências, costume se espalhou pelo país. No início, somente as praticantes femininas aderiram. Os homens queriam permanecer peludos. Depois, como é natural em uma cultura matriarcal, as mulheres passaram a educar os homens ensinando-lhes a adotar essa atitude, mais elegante e civilizada. Passados uns anos, essa prática brasileira ganhou o mundo e hoje é conhecida em vários países como brazilian waxing.

O brazilian waxing teve origem na Nossa Cultura, na escola do Rio de Janeiro, na década de 1960. Mas não foi só esse conceito comportamental que tivemos o privilégio de inserir no mundo. Continue frequentando nosso blog e você ficará impressionado com a abrangência e relevância do Método.

segunda-feira, 14 de março de 2011 | Autor:

Vou reeditar o livro sobre alimentação. Quero que esteja pronto para o lançamento no Festival de Florianópolis. Provavelmente terá o título Método de Alimentação Biológica.

Para tanto, preciso que você me envie os dados sobre os restaurantes da sua cidade, tal como se encontram na edição anterior Chega de Abobrinha!

Ou seja, se tem ou não convênio conosco; o nível de respeito e atenção com não-carnívoros, de um a cinco smiles; e o preço médio relativo de um  a cinco cifrões ($). Não mencione valores em reais, pesos, dólares, euros etc., porque isso muda. Além do mais, para quem vem de outro país, converter a sua moeda pode ser um pouco confuso.

Também preciso do preço em $$ porque o número de cifrões representa: ($) muito barato, ($$) barato, ($$$) médio, ($$$$) caro e ($$$$$) muito caro, dentro de um contexto. Esse contexto quem interpreta é você que esteve no restaurante.

Necessitamos dos nomes dos pratos para que os nossos leitores entrem e peçam as iguarias recomendadas por você.

Os estabelecimentos precisam ser comuns e jamais especializados. Não podem ser restaurantes vegetarianos, naturais, macrobóticos, veganos, biológicos, orgânicos etc.  

Pode indicar pizzarias, lanchonetes, churrascarias e restaurantes diversos, desde que sejam comuns, normais. A ideia é justamente mostrar que um não-carnívoro encontra comida sem carnes em qualquer lugar e que comemos a mesma comida que todo o mundo come, só que sem carnes .

Precisamos dos dados completos dos restaurantes: nome, endereço, telefone, cidade, estado e país. Depois, qual o patamar de preço (de um a cinco cifrões [$]) e qual o nível de satisfação que você sentiu (de um a cinco smiles). Na sequência, o nome de alguns pratos que constem do cardápio regular e que não contenham carnes. A proposta não é vegan. É apenas não-carnívora.

Mas, por favor, seja exigente. Imagine que quem vai lá experimentar os pratos indicados é um daqueles intolerantes radicais xiitas que fincam pé contra o seu sistema alimentar e dos que afirmam que jamais conseguiriam ter prazer em alimentação sem carnes. Os pratos recomendados precisam estremecer essas opiniões desinformadas sobre o que nós comemos.

Não me envie sugestões de pratos estereotipados, que contenham soja, tofú, shoyu, missô, algas, arroz integral, açúcar mascavo ou qualquer outra coisa que possa parecer esquisitice aos olhos dos outsiders. A comida tem que ser saborosa.  Food should taste good.

Atenção: preciso dessas informações para ontem!

Obrigado pelo Ritmo DeRose

_________________________

Queria deixar um aviso aos frequentadores do Blog que querem colaborar com o livro novo de Alimentação:

Vamos facilitar a vida do Mestre. Leia o post na íntegra antes de deixar suas sugestões. O Mestre não vai ter tempo de pesquisar todos os dados faltantes dos restaurantes, sites etc, por isso você precisa mandar os dados completos e bem organizados. Para facilitar você pode preencher os dados da seguinte forma:

Nome do restaurante:
Endereço completo e telefone:
Número de smiles (de 1 a 5):
Valor médio (de 1 a 5 cifrões):
Tem convênio conosco?
Sugestões de pratos (bebidas, entradas, pratos principais, sobremesas):

Pronto!

Beijos.

Vivi

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 | Autor:

Fiquei muito feliz com o interesse demonstrado pelas perguntas que me encaminharam a respeito do informativo número 247 enviado aos instrutores. Muitos dos que ainda não têm a certificação para utilizar a marca Método DeRose demonstraram carinho, lealdade e disciplina, consultando sobre como deveriam proceder. E também fiquei comovido com a vontade de todos de usar a marca. Então, aí vão algumas dicas e um presente de Natal.

Presente de Natal:

Atendendo a pedidos de vários colegas, a norma de que só deve utilizar Método DeRose quem for unidade certificada só entrará em vigor daqui a SEIS MESES para que todos tenham tempo de se certificar. Os instrutores de equipe poderão utilizar a marca ao dar classes em empresas quando for o caso de contratos de terceirização firmados pelo Diretor da unidade. Isso, porque quem tem a concessão de uso da marca é o Diretor de um estabelecimento credenciado e certificado.

Dicas:

O instrutor que se formar a partir de 2011 receberá um certificado de instrutor do Método DeRose com uma cláusula que explicita que só é permitido ensinar o Método DeRose em estabelecimentos que estiverem credenciados e certificados pelo Diretório Central do Método no corrente ano.

Se houver a intenção verdadeira de se certificar, cumprindo os dez pré-requisitos que constam no informativo de autoavaliação, poderá utilizar a marca desde já em e-mails e impressos, mas ainda não o letreiro em aço polido na fachada da escola.

Os sites das escolas, conforme recomendação anteriormente enviada, não devem retirar por enquanto a palavra mágica. Se desejarem, poderão ter outro site sem ela. O Diretório Central do Método DeRose está fazendo isso. Vamos preservar o site antigo e brevemente inauguraremos o site oficial do Método, que está sendo elaborado sob a responsabilidade do Cambria. Para os sites de busca, continuaremos por um bom tempo utilizando a palavra mágica com acento, sem acento, com Y e com I, e mais todas aquelas palavras-chave que foram enviadas por informativo aos instrutores.

Os que realmente estiverem alinhados com a proposta do novo paradigma poderão adotar uma máscara para que o seu e-mail e site não utilizem termos que reforcem estereótipos. Digo “os que estiverem realmente alinhados”, para que daqui a seis meses não tenham que retroceder e trocar de novo, por não haverem conseguido a certificação.

Lembre-se de que para receber a certificação para utilizar a marca Método DeRose, o EVA da sua escola não pode fugir aos padrões da rede. Não pode ser plastificado, nem ter textura, nem ser de qualidade inferior.

Quem não tiver o Contrato de Credenciamento válido não poderá utilizar a marca em nenhum momento. Se a data do seu contrato já expirou, peça à Virgínia que providencie um novo contrato com as normas atualizadas.

Concessões temporárias:

Defensores do Método em outros países (sendo instrutores formados, supervisionados, revalidados e quites com todos os compromissos), poderão solicitar uma concessão de anistia de dois anos para contar com os benefícios de unidade credenciada e certificada sem precisar honrar algumas obrigações (negociadas caso a caso), desde que seja o único defensor daquele país. É preciso sempre consultar, para saber se o Diretório Central tem interesse naquele país ou cidade e se você está amadurecido para receber essa autorização. São nossas duras exigências que garantem a preservação da excelência do Método. Se você é mesmo um dos nossos, sei que respeita e valoriza essas exigências.

Não adianta trocar seis por meia dúzia:

Entenda que não estamos propondo trocar o nome do produto cultural com que trabalhamos. Chamar de Método DeRose, mas continuar apenas dando classes de ashtánga sádhana terças e quintas das seis às sete, isso não é ensinar o Método. Isso é ensinar SwáSthya. O que caracteriza o Método DeRose é a ênfase nos conceitos comportamentais transmitidos pelo exemplo e aplicados na vida real. Para tanto, é preciso incrementar as atividades culturais dentro e fora da escola, a fim de que os alunos possam conviver com os mais antigos já identificados com o nosso modus vivendi. Brevemente os instrutores receberão um informativo com as sugestões de um bom número de atividades culturais que podem ser aplicadas dentro da escola e outras com os alunos em ações externas.

Dúvidas:

“Quando muda um paradigma, tudo volta a zero.” Esta é uma frase do vídeo A questão dos paradigmas, da Siamar, para treinamento empresarial. No YouTube você encontra trechos desse material baseado nas descobertas do cientista Thomas Kuhn, publicadas no seu livro A estrutura das Revoluções Científicas. Se gostar, poderá comprar ou alugar o DVD na sede da Siamar que fica na Alameda Jaú, em São Paulo. Também vale a pena ler o livro. Quando tudo volta a zero, temos que caminhar cautelosamente para não dar nenhum passo em falso. Por isso, é natural que surjam algumas dúvidas. Eu prefiro que elas se solucionem sozinhas, gradualmente, no andamento da carruagem. Por esse motivo, não estamos normatizando tudo de uma só vez. Vamos estudando as necessidades e procurando evitar burocracias desnecessárias. Mas se você tiver qualquer dúvida ou sugestão, fale comigo pelo blog.

_________________

O Diretório Central do Método DeRose é composto pelo Colegiado de Presidentes de Federações das Jurisidição das Américas e Europa, mais o Conselho Administrativo, constituído por dez a doze Diretores de Escolas Credenciadas e Certificadas. O Colegiado reúne todas as terças-feiras por skype os Presidentes de todos os estados do Brasil, Argentina, Portugal, França, Inglaterra e Itália para tomar decisões de cunho filosófico, ético, pedagógico, qualificação, habilitação e documentação dos insturores, bem como formatar o protocolo e cerimonial. O Conselho se reúne com presença física todas as quartas-feiras para debater assuntos de ordem prática para o dia-a-dia das escolas, elaborar projetos e eventos que privilegiem nossos alunos, nossos instrutores e suas escolas, assim como o fortalecimento da nossa marca. Por uma questão de respeito, o Diretório não homologa nenhuma decisão sem consultar o Sistematizador DeRose.

A Administração Central do Método DeRose é constituída por uma junta que trabalha a tempo integral exclusivamente para manter em funcionamento as engrenagens de escritório, contabilidade, pagamento de impostos, departamento jurídico, informática, edição de livros, aprovação de projetos das unidades, consultoria aos colegas filiados, envio de vários informativos todos os meses (pela Virgínia Barbosa), manutenção do blog, envio de correspondências por correio, fornecimento de material didático solicitado pelas escolas e mais uma infinidade de atribuições para as quais é assessorada pelo Office.

O Office é uma empresa do Prof. Charles Maciel com Daniel Cambria e Federico Giordano que tem mais uma quantidade de colaboradores e contratados e que atua prioritariamente para atender as variadas necessidades das escolas credenciadas ao Método, notadamente, informações, esclarecimentos, treinamento, auditoria, consultoria, assistência para produção de suprimentos, transporte, estocagem e fornecimento de material didático.

A DeRose Editora é responsável pela publicação de literatura confiável sobre os assuntos que tenham relação com as nossas propostas. Os livros destinados à filiação devem ser obrigatoriamente impressos e pagos pela DeRose Editora, mesmo quando publicados noutros países.

A Método Distribuidora é a empresa do Prof. Gustavo Oliveira, que tem o objetivo de distribuir os livros de mais de vinte escritores das escolas credenciadas à nossa rede. O autor só poderá contar com a regalia de ter seus livros distribuídos pela Método se for vinculado a uma escola credenciada.